Blog :: Xalingo

Tag - gravidez

Quer engravidar em 2020? Então veja estas 5 dicas

O novo ano chegou e você percebeu que é hora de aumentar a família? Então confira estas 5 dicas de Renato de Oliveira, ginecologista e especialista em reprodução humana.

1) Não esqueça de consultar o seu ginecologista

Antes de qualquer coisa, consultar o seu ginecologista é fundamental. Este é o momento ideal para fazer uma avaliação geral de sua saúde e esclarecer todas as dúvidas prévias sobre gravidez e sobre o seu corpo.

2) Tenha conhecimento sobre o histórico de doenças das famílias

É sempre importante saber o histórico familiar de doenças. Casos como de anemia falciforme, fibrose cística, atrasos de desenvolvimento, defeitos congênitos ou problemas de coagulação podem trazer complicações na gravidez ou riscos ao bebê.

3) Já ouviu falar do ácido fólico?

Uma coisa que é indicada para as mulheres que querem engravidar é uma suplementação de vitaminas de ácido fólico, com uma duração de no mínimo 3 meses anteriores à gravidez. Esse processo pode reduzir o risco de defeitos no fechamento do tubo neural do bebê. Ou seja: previne riscos no que corresponde à coluna e à parte da cabeça. Por isso, é importante falar com o seu médico.

4) Não se esqueça de sua carteirinha de vacinação

Outra recomendação é estar em dia com as vacinas contra rubéola, sarampo, coqueluche, hepatite B e tétano. “As três últimas podem ser feitas na gravidez, se necessário. A vacina contra influenza está indicada para todas as gestantes. Existem períodos certos para a vacinação, sendo necessário, portanto, seguir a orientação médica”, explica o especialista.

5) Se alimente bem, pratique exercícios físicos e seja feliz

Alguns estudos mostram que é mais difícil para as mulheres engravidarem quando estão muito acima ou muito abaixo do peso. “Além disso, mulheres que mantêm um estilo de vida saudável estão menos suscetíveis ao risco de desenvolver diabetes gestacional, por exemplo”, fala Renato.

Praticar exercícios físicos é fundamental para fortalecer a musculatura pensando nas mudanças que o corpo vai ter com a gravidez. “Outra dica é diminuir o consumo excessivo de álcool, que pode alterar o ciclo menstrual e dificultar a ovulação, e também abandonar o tabagismo”, explica o médico.

Para as mulheres que buscam engravidar nesse 2020, essas dicas com certeza vão ajudar e facilitar todo o processo. Mas nunca se esqueça de sempre manter contato com o seu médico. A melhor fonte de informações e forma de tirar as dúvidas é com ele.

E para ficar por dentro das últimas novidades da Xalingo Brinquedos, inscreva-se em nosso canal no Youtube.

Fonte: https://paisefilhos.uol.com.br/quero-engravidar/5-passos-para-ficar-gravida-em-2020-separamos-dicas-de-ouro-que-vao-te-ajudar-nesse-processo/

Saiba quais são os exercícios indicados para grávidas

Você está grávida mas quer manter sua rotina de exercícios físicos em dia? Então veja quais as indicações.

Os exercícios indicados pelos médicos são aqueles realizados na água, como natação e hidroginástica. Isso porque não causam impacto e têm inúmeros benefícios para a força muscular e articular e a melhora do condicionamento cardiorrespiratório.

Porém, há técnicas e métodos de musculação e exercício funcional no ambiente seco que cuidam da gestante de maneira tão eficiente quanto exercícios na água. Alguns exemplos: alongamentos, ioga, pilates (importante esses três serem orientados por especialistas em gestantes), caminhada e bicicleta.

Na lista das atividades a serem evitadas, entram esportes de contato, como lutas e atividades marciais, levantamento de grandes pesos e atividades com movimentos bruscos que acelerem a frequência cardíaca, como tiros de corrida. Esportes com grande risco de queda e com bola – a fim de evitar boladas e trancos entre os jogadores – e mergulho. E os abdominais, no segundo e terceiro trimestres.

E para ficar por dentro das últimas novidades da Xalingo Brinquedos, inscreva-se em nosso canal no Youtube.

Fonte: https://revistacrescer.globo.com/Gravidez/noticia/2020/01/quais-exercicios-sao-recomendados-para-gravidas.html

Saiba como diminuir as varizes durante a gravidez

Varizes incomodam muitas mulheres. Na gravidez, elas se tornam ainda mais comum. Mas tem dicas para diminuí-las. Confira!

Segundo Marcelo Pereira Bello, angiologista e cirurgião vascular e linfático, o ideal é que a paciente que está pensando em engravidar faça um tratamento antes da gestação. “Só não indicamos cirurgia, porque como há chance de os vasos dilatarem durante a gravidez, pode ser que um novo procedimento seja necessário depois que o bebê nascer”, diz.

E uma boa notícia: de acordo com o especialista, há chance de as veias dilatadas na gravidez regredirem três ou quatro meses após o parto, principalmente em quem nunca teve varizes anteriormente.

Algumas medidas são importantes para evitar ou amenizar o problema na gestação. Confira:

– Mantenha uma alimentação balanceada, para não ganhar peso em excesso e não piorar as varizes;

– Faça atividades físicas de baixo impacto. As melhores são as com água, como hidroginástica ou natação leve, que ainda fazem uma drenagem natural no corpo;

– Use meias elásticas, mediante prescrição médica, que auxiliam na prevenção;

– Outra dica são as massagens, que podem ser feitas à base de calêndula vermelha, e drenagem linfática manual, feita por especialistas em gestantes, que ajudam a reduzir os inchaços além de melhorar o fluxo sanguíneo;

– Embora haja um mito em relação a sapatos altos, segundo o especialista, o ideal é usar saltinhos entre 3 e 5 cm de altura, que estimulam a musculatura da panturrilha e ajudam na circulação do sangue nas veias;

– Não permaneça sentada ou em pé por mais de 40 minutos consecutivos. Tente revezar a posição para estimular o fluxo sanguíneo;

– Na hora do repouso, eleve as pernas.

E para ficar por dentro das últimas novidades da Xalingo Brinquedos, inscreva-se em nosso canal no Youtube.

Fonte:
https://revistacrescer.globo.com/Gravidez/Saude/noticia/2013/03/varizes-na-gravidez.html

Sabe aquela briguinha de casal? Pode ter consequências nos filhos

Estudo britânico revela que os conflitos que acontecem antes mesmo do nascimento dos filhos, podem ajudar a explicar os problemas comportamentais como birras, inquietação e mal-estar aos 2 anos de idade.

 

Você e seu companheiro estão lutando para ter um bom relacionamento com o seu pequeno? Pois, a explicação para tanta rebeldia pode estar lá atrás, antes mesmo dele nascer.

 

Uma nova pesquisa da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, em conjunto com as Universidades de Birmingham, Nova York e Leiden, sugere que os conflitos entre casais durante a gravidez podem influenciar o comportamento das crianças.

 

O estudo, publicado há poucos dias pela revista Development & Psychopathology, baseou-se nas experiências de 438 mães e pais de primeira viagem. Esses pais foram recrutados no leste da Inglaterra, no estado de Nova York e na Holanda. Usando questionários padronizados e entrevistas pessoais, as mães e os pais relataram seus sintomas de ansiedade e depressão no terceiro trimestre da gravidez e quando o filho tinha 4, 14 e 24 meses de idade. Em cada uma dessas visitas, os pais também preencheram medidas padronizadas de questionários sobre a qualidade do relacionamento com os pais e as emoções e o comportamento das crianças.

 

Os pesquisadores sugeriram que o bem-estar pré-natal das mães de primeira viagem teve um impacto direto no comportamento de seus filhos aos 2 anos. As mães que sofreram de estresse e ansiedade eram mais propensas a ver seus filhos apresentarem problemas comportamentais como birras, inquietação e mal-estar, além de  problemas emocionais, como os sentimentos de ansiedade, infelicidade ou ficando mais chorosas, assustadas ou apegadas aos pais diante de uma situação nova.

 

E para ficar por dentro das últimas novidades da Xalingo Brinquedos, inscreva-se em nosso canal no Youtube.

 

Fonte:
https://revistacrescer.globo.com/Gravidez/Vida-de-gravida/noticia/2019/08/brigas-de-casal-na-gravidez-podem-gerar-problemas-comportamentais-nas-criancas-diz-pesquisa.html

O que acontece com o cérebro das mães?

Durante muito tempo propagou-se o mito de que engravidar e ter filhos deixava as mulheres “esquecidas” e desatentas. Porém, estudos recentes indicam que com a maternidade, não só a capacidade intelectual delas se mantém a mesma, como ainda fortalece a atividade em áreas cerebrais ligadas à afetividade e criação de vínculos.

 

Uma pesquisa desenvolvida na Holanda analisou o comportamento dos cérebros de diversas gestantes e mães e observou um nível maior de atividade nas áreas ligadas à criação de vínculo e afetividade, mas nada relacionado à falta de atenção ou perda de memória. Isso joga por terra o conceito muito comum e bastante machista a respeito da maternidade.

 

Por outro lado, as queixas de grávidas e mães em relação a esquecimentos frequentes existe. Qual é o motivo então?  Segundo os especialistas, o que realmente afeta as mulheres são as grandes modificações corporais e na rotina que elas enfrentam. Privação de sono, desconforto físico, novas preocupações, mudanças na alimentação e toda a sorte de efeitos que a gravidez, o parto e o início da nova vida com um bebê acarretam às mulheres.

 

Portanto, ao invés de responsabilizar as mães ou o funcionamento dos seus cérebros, a recomendação ideal seria por mais compreensão e efetiva participação por parte dos pais em todos os processos e cuidados com a gestante e o bebê, especialmente pelo fato de que não é no corpo deles que todas essas modificações estão ocorrendo.

 

E para ficar por dentro das últimas novidades da Xalingo Brinquedos, inscreva-se em nosso canal no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCEu_wTApB06msiH5SXQ-JRg

 

Fonte:
http://revistacrescer.globo.com/Curiosidades/noticia/2017/06/o-que-acontece-com-o-cerebro-das-mulheres-quando-se-tornam-maes.html

 

5 dicas para diminuir o inchaço durante a gravidez

A retenção de líquidos durante a gravidez é um dos sintomas mais comuns às mulheres. Principalmente se a segunda metade da gravidez coincide com os meses de verão. Carla Góes, médica e autora do livro Grávida e Bela, dá algumas dicas para aliviá-lo.

 

1) Deite-se sobre o lado esquerdo do corpo ou com as pernas elevadas. Ambas as posições melhoram a circulação do sangue. O ideal é que a gestante reserve 15 minutos depois do almoço e à noite para esticar as pernas.

 

2) Pratique exercícios físicos. Caminhadas (protegidas do sol) e exercícios na água podem ser atividades agradáveis nesta época do ano.

 

3) Vista-se de forma confortável. Roupas apertadas, como calças jeans, e sapatos fechados demais prejudicam a circulação e aumentam o inchaço.

 

4) Reduza o sal do prato. Dietas com menos sódio ajudam a minimizar a retenção de líquido.

 

5) Se possível, faça drenagem linfática com um profissional especializado em gestantes. Além de relaxar, o procedimento diminui o edema geral do corpo e do rosto.

 

6) Beba muita água. Se você sempre se esquece dela, cultive o hábito de ter uma garrafinha cheia à mão. Incremente a ingestão de líquidos com sucos naturais e frutas.

 

E para ficar por dentro das últimas novidades da Xalingo Brinquedos, inscreva-se em nosso canal no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCEu_wTApB06msiH5SXQ-JRg

 

Fonte: https://revistacrescer.globo.com/Gravidez/Saude/noticia/2018/12/5-maneiras-de-combater-o-inchaco-na-gravidez.html

Turma do Peito: documentário para toda a família fala sobre a vida pós-parto

turma do peito - The Letdown

A maternidade certamente é linda, mágica, transformadora. Mas as mudanças que o “tornar-se mãe” trazem à vida da mulher merecem atenção especial, principalmente porque este momento é muito romantizado e mais difícil de viver, principamente quando a nova mãe se sente culpada por sofrer em alguns momentos. É sobre isso que fala a série “Turma do Peito” (The Letdown), criada por Sarah Scheller e Alison Bell, que protagoniza a série, produzida pelo canal australiano ABC e que pode ser assistida na Netflix.turma do peito - The Letdown

A série conta a vida de Audrey, mãe de primeira viagem de uma menina de dois meses, tenta apoio de um grupo de pais do seu bairro, do parceiro estressado pelo trabalho e até mesmo do traficante de drogas da região.

A grande questão

Entre as discussões proporcionadas pela vida de Audrey, destacam-se três questões: como é ser você e também uma nova pessoa, com novas responsabilidades? Como é lidar com os desafios reais de ser mãe e com a pressão dos julgamentos disfarçados de conselhos? é que foi parar sua antiga e confortável vida?

Ao todo são sete episódios, de cerca de 30 minutos cada, que trazem à tona a discussão sobre temas como puerpério, rede de apoio, dificuldades na amamentação, noites em claro e do impacto que um bebê causa nas relações familiares, amorosas e na vida social da família.

Para todos

A “Turma do Peito” não é uma série feita exclusivamente para mães. Na verdade, é muito importante que toda a família – incluindo pais, tios, amigos, avós, sogras e parceiros – assista, para analisar e identificar situações que mereçam um olhar diferente daqui pra frente.

Assista ao trailer e tenha uma ideia do que espera por você.

 

Fonte: Universa

Gravidez de cinema

post3

Especialmente na primeira gravidez, é normal ter aquela ansiedade por informações, ficar querendo saber tudo o que irá acontecer e viver todas as etapas intensamente. Uma coisa muito bacana de se fazer neste período, é assistir filmes que retratem esse momento pelo qual se está passando.

 

Pensando nisso, selecionamos alguns filmes para assistir durante a gravidez. Com eles, futuras mamães e papais poderão se informar e ainda se divertir. Confira!

 

O que esperar quando você está esperando

O filme retrata cinco casais prestes a terem filhos, apresentando com muito bom humor as descobertas e dificuldades deles nesta nova fase, nas mais diversas situações.

 

The happiest baby on the block

Este documentário é o resultado de um estudo feito pelo Dr. Harvey Karp que, há mais de 30 anos, ensina técnicas para acalmar bebês no auge do choro.

 

Bebês

Este encantador documentário do francês Thomas Balmès leva ao público as diferentes perspectivas culturais que influem na criação de crianças, do nascimento aos primeiros passos. Ele filmou durante 1 ano a vida de quatro crianças de diferentes países: Namíbia, Mongólia, Japão e Estados Unidos.

 

Nove meses

Nesta comédia, Hugh Grant vive um terapeuta infantil que descobre que será pai e ele terá nove meses para se acostumar a essa ideia, que o apavora.

 

O pequeno Nicolau

Este filme francês explora de forma graciosa o imaginário infantil, contando a história de Nicolau, enquanto ele espera o nascimento de seu irmão.

 

post3b

 

 

 

Fonte: Just Real Moms

Imagens: divulgação

Grávida de gêmeos?

 

post1

Acabou de descobrir que está grávida de gêmeos? As alegrias e confusões são multiplicadas sim, mas não precisa entrar em pânico. Confira algumas dicas e curiosidades sobre a gravidez de múltiplos.

 

– Uma grande preocupação da gravidez é a trombose. No caso de gêmeos, o cuidado deve ser ainda maior. Converse com seu médico sobre a prevenção.

 

– Existe um exame de sangue que permite detectar precocemente a Síndrome de Down em gêmeos. Consulte seu obstetra a respeito.

 

– Como amamentar gêmeos? É preciso um tanto a mais de organização e logística, mas não se preocupe, que seu organismo produzirá leite suficiente para os dois bebês.

 

– Vestir os gêmeos com a mesma roupa, ainda que com cores diferentes, não é bom para o desenvolvimento da identidade deles. Ainda que seja comum fazer isso, é melhor evitar e buscar outra forma de identifica-los entre si.

 

– Mãe de gêmeos não deve bancar a Mulher-Maravilha! Aceite e peça ajuda sempre, além de contar sempre com o apoio e participação ativa do pai.

 

– Curiosidade: mesmo sendo gêmeos idênticos, a impressão digital deles é sempre diferente.

 

 

 

Fonte: Pais e Filhos

O que acontece com o cérebro das mães?

post1

Durante muito tempo propagou-se o mito de que engravidar e ter filhos deixava as mulheres “esquecidas” e desatentas. Porém, estudos recentes indicam que com a maternidade, não só a capacidade intelectual delas se mantém a mesma, como ainda fortalece a atividade em áreas cerebrais ligadas à afetividade e criação de vínculos.

 

Uma pesquisa desenvolvida na Holanda analisou o comportamento dos cérebros de diversas gestantes e mães e observou um nível maior de atividade nas áreas ligadas à criação de vínculo e afetividade, mas nada relacionado à falta de atenção ou perda de memória. Isso joga por terra o conceito muito comum e bastante machista a respeito da maternidade.

 

Por outro lado, as queixas de grávidas e mães em relação a esquecimentos frequentes existe. Qual é o motivo então?  Segundo os especialistas, o que realmente afeta as mulheres são as grandes modificações corporais e na rotina que elas enfrentam. Privação de sono, desconforto físico, novas preocupações, mudanças na alimentação e toda a sorte de efeitos que a gravidez, o parto e o início da nova vida com um bebê acarretam às mulheres.

 

Portanto, ao invés de responsabilizar as mães ou o funcionamento dos seus cérebros, a recomendação ideal seria por mais compreensão e efetiva participação por parte dos pais em todos os processos e cuidados com a gestante e o bebê, especialmente pelo fato de que não é no corpo deles que todas essas modificações estão ocorrendo.

 

 

 

Fonte: Crescer