Blog :: Xalingo

Tag - brinquedos

Dicas de como escolher o brinquedo certo para o seu filho

O Dia das Crianças está chegando e brinquedo sempre é uma ótima opção para os pequenos. Mas e você sabe qual é o brinquedo ideal para o seu filho?

Algumas dicas são muito importantes de seguir: orçamento, produtos com selo do INMETRO, interesse da criança e também se determinado brinquedo é de acordo com a idade do pequeno. Confira estas dicas:

A partir de 0 anos

Nos primeiros meses de vida, o desenvolvimento dos bebês se dá aos saltos e os estímulos sensoriais são fundamentais nesta faixa etária. Por isso, brinquedos macios e sonoros que estimulam os sentidos são uma ótima pedida. Algumas sugestões são os móbiles, bonecos e carrinhos de tecido, mordedores, brinquedos com texturas e tapetes de atividades, por exemplo.

A partir de 2 anos

Nesta fase, os pequenos começam com as brincadeiras de faz de conta, imitando os adultos e sempre atentos aos sons ao redor. Por isso, nesta  faixa etária, brinquedos sonoros e que estimulam as brincadeiras mais imaginativas são muito interessantes. Opte por instrumentos musicais, panelinhas, blocos de montar, jogos de encaixar, bonecos e carrinhos, por exemplo.

A partir de 4 anos

Nesta fase, os brinquedos começam a, de fato, se tornarem os companheiros dos pequenos e instrumento de aprendizado. Neste momento, aqueles que estimulam a memória, o raciocínio, a criatividade e a coordenação motora são ótimas opções. Aposte em quebra-cabeças e blocos de montar.

A partir de 6 anos

Nessa faixa etária, além de gostar de brincar de faz de conta, os pequenos estão mais atentos e gostam de brincar com outras pessoas. Neste momento, vale apostar em jogos de regras e brinquedos que ajudem a gastar energia e a movimentar o corpo, incentivando as brincadeiras ao ar livre, como bicicleta, skate, patins e pipa, por exemplo.

A partir de 8 anos

A partir desta idade, as crianças já têm capacidade para jogos que exigem raciocínio e estratégia, e começam também a desenvolver seus gostos e preferências. Aqui vale investir em jogos de tabuleiro, objetos de construção (blocos de montar avançados) e kits de mágica. Os instrumentos musicais também são uma ótima pedida!

E para ficar por dentro das últimas novidades da Xalingo Brinquedos, inscreva-se em nosso canal no Youtube.

Fontes:
https://itmae.uol.com.br/filhos/cultura-e-diversao/como-escolher-o-brinquedo-certo-para-o-seu-filho

https://leiturinha.com.br/blog/como-escolher-o-brinquedo-ideal-para-a-faixa-etaria-do-seu-pequeno/

“Para alcançarmos a criança, devemos compreender que a imaginação é um mundo”

A fala que abre esse post é do pesquisador da cultura de infância Gandhy Piorski. Segundo o maranhense, a imaginação é o que constrói a psique da criança, e pode atrofiar e causar danos como adultização precoce caso não seja estimulada já na primeira infância.

Sendo a imaginação tão necessária, Piorski destaca a importância do “nada” para o desenvolvimento dos pequenos: ele é o chão do todo, pois é rico de possibilidades e permite que a criança encontre em si mesma a extensão do mundo. Porém, ele lembra que os pais devem permitir esse “nada” às crianças ao mesmo tempo em que se fazem presentes e ativos nesse espaço aparentemente vazio. Afinal, é “a presença do pai, da mãe, do educador que assegura a confiança, o acolhimento da descoberta, o encontro dessas novas possibilidades, a investigação que a criança naturalmente quer exercer”.

post 2

Como já comentamos em outro post, o excesso de atividades e de informação escolar, de deveres a cumprir no dia a dia pensando que a criança precisará ser bem-sucedida num tempo futuro e distante, não faz bem para o desenvolvimento delas.

“Inserimos nossas crianças num fluxo vertiginoso de modelamento social, para num futuro serem vitoriosas na geração de produtos e consumo”, afirma o pesquisador, reforçando que com isso reprimimos o que os pequenos têm de mais valioso no humano: a capacidade de imaginar, que é de onde brota a verdadeira inteligência, é o lugar onde se adubam os valores e se constrói a ética.

O excesso de estímulos

Outro ponto destacado por Gandhy é o excesso de estímulos, que também pode prejudicar o desenvolvimento da imaginação. Ele enfatiza que este é um drama civilizacional, que faz parte da forma como a humanidade escolheu viver.

Assim, ele lembra que “as crianças têm pouca escolha, pois estão à mercê dos desejos dos pais, da época em que vivem”, mas saliente que a responsabilidade de escolha é dos adultos – e não das crianças. Quando os pais mudam a forma como encaram a vida, eles podem criar melhores condições para seus filhos. E isso inclui rever modos de trabalho, o conceito de tempo, entendimentos sobre o que realmente é aprendizado, senso de vida comunitária, e tantas outras revisões que podemos fazer para viver em um mundo melhor.

Fonte: Site Lunetas 

4 brincadeiras para as crianças no São João

Amanhã é dia de brincadeiras, de comidinhas gostosas e, claro, de muita diversão! Chegou 24 de junho, chegou São João!

Como nesse ano a data cai em um domingo, que tal reunir a família e os amigos em uma festa junina super divertida? Há alguns dias falamos sobre a organização, decoração e cardápio de São João.

Nossa dica de hoje traz uma seleção de brincadeiras que você pode preparar até amanhã. São brincadeiras típicas de São João, que atendem a diferentes faixas etárias e que podem entreter inclusive os adultos. Quer saber quais? Confere agora!

post 2

Dança da Cadeira

Faça um círculo com cadeiras: o número delas depende do total de participantes, será sempre uma cadeira a menos do que o total de pessoas. Você coloca uma música e os participantes “dançam” (caminham) ao redor das cadeiras, mantendo as mãos para trás. Quando a música para, os participantes precisam sentar. Como tem uma cadeira a menos, uma pessoa ficará em pé, sendo eliminada. A cada rodada você tira uma cadeira, até sobrarem duas pessoas e apenas uma cadeira. Vence quem conseguir sentar!

 

Caça ao Objeto

Esconda um objeto em algum lugar da festa: pode ser um lenço, um acessório temático, ou o que você quiser. Você dá a largada para que as crianças procurem e define quanto tempo elas têm para achar. Ganha a primeira criança que encontrar o objeto.

 

Ovo na Colher

Marque no chão, com giz, a partida e a chegada da corrida. As crianças participantes precisam fazer o percurso carregando um ovo em uma colher – você decide, de acordo com a idade, se elas levarão a colher na mão ou na boca. Vence quem cruzar a linha de chegada sem derrubar o ovo.

* você pode substituir o ovo por uma batata ou um limão.

 

Cadê meu par

Separe as crianças em duplas e dê a cada dupla um par de lenços, da mesma cor (cada dupla precisa ter uma cor diferente de lenço). Dê para cada participante um “nome”: uma palavra que forme par com a do parceiro de dupla como, por exemplo, “milho” e “pipoca” ou “amendoim” e “rapadura”. Use os lenços para vendar as crianças e separe-as pela sala, deixando-as afastada. O jogo começa quando uma criança fala seu “nome” e precisa ser encontrada pelo seu par. Elas têm um minuto para se encontrarem, senão passa para o par seguinte. Ganha o par que se encontrar primeiro.

Sabe onde mais você encontra atividades? No Clubinho Xalingo! Preparamos um especial de São João super divertido! Clica aqui para conferir!

 

Fonte: Solo Infantil 

Unicórnios existem? Na imaginação, sim, e por isso podem ser bem reais!

Nós, adultos, sabemos que unicórnios não existem. Mas termos consciência disso não nos impede de achar essa figura mitológica uma fofura, a ponto de desejarmos ter um unicórnio em casa. Se nós somos assim, imaginativos, imagine as crianças! A imaginação infantil permite às crianças irem “ao infinito e além”, como diz o personagem aquele ;-), especialmente quando são estimuladas.

post 3

Mas como os unicórnios entram nessa conversa? Bem, um dos elementos que auxiliam no desenvolvimento são os contos de fadas: ouvir e contar histórias que não são necessariamente reais ajuda na socialização em grupo, na percepção de mundo e a desenvolver a imaginação e a autonomia.

Os contos de fadas também ajudam no desenvolvimento da identidade da criança: por eles ela ensaia seus papéis na sociedade, adaptando-se a situações reais e colocando-se dentro da história. As histórias, mesmo que sejam fantasiosas, desencadeiam ideias, opiniões, sentimentos e criatividade.

Desde bebê, as crianças são estimuladas a criar e a imaginar, em brincadeiras como faz-de-contas, contação de histórias. Como elas não sabem diferenciar, os pais precisam, conforme a criança cresce, enfatizar o que é real e o que é história inventada: o que é mundo das princesas e dos super-heróis ou o que é a vida de verdade dos pequenos.

Mas, independente dessa consciência do que é real ou não, os pais podem incentivar a criatividade, fazendo com que os pequenos construam suas histórias irreais, de faz-de-conta. Ou seja, manter viva a chama da inventividade que os unicórnios trazem em seu voo sobre as nossas mentes criativas. 😀

 

Fonte: My School

6 maneiras de estimular a criatividade das crianças

6 maneiras de estimular a criatividade das crianças

A ciência já constatou, mas sempre é bom lembrar: a criatividade não é um dom restrito a algumas pessoas e a gente pode, sim, usar alguns mecanismos que estimulem o nosso potencial criativo. Se encontrarmos maneiras de estimular a criatividade de uma pessoa desde pequena, ela terá mais facilidade quando precisar ter ideias diferentes ou encontrar alternativas perante as dificuldades.

6 maneiras de estimular a criatividade das crianças

Por isso hoje vamos trazer 6 maneiras de estimular a criatividade das crianças desde a primeira infância. É importante que os pais e professores lembrem de manter um ambiente propenso a inserir atividades estimulantes na rotina dos pequenos.

1. Brincadeiras criativas

Brincadeiras e brinquedos que estimulem a capacidade de pensar e ter ideias contribui com o desenvolvimento das habilidades criativas. Lembra de quando você usava a caixa da pasta de dente e tampinhas de garrafa para construir um carrinho? É essa a ideia! Transformar objetos que já existem em outros, contar uma história a partir de objetos, ouvir uma música e inventar uma coreografia temática… O importante é dar espaço para as crianças usarem a imaginação!

2. Deixe pensar fora da caixa

Nunca condene ou ignore as ideias das crianças, mesmo que elas pareçam sem sentido. Quando os pequenos fizerem perguntas sem pé nem cabeça, converse, tente responder, entre na vibe e estimule esse pensamento fora da caixa.

3. Hora do Desenho

O desenho é uma das principais maneiras de expressar a criatividade, sem falar que é uma das mais simples: basta um papel e um lápis ou caneta para começar. Por isso é importante estimular o ato de desenhar e isso pode ser feito com pequenas competições dentro de casa. Você pode definir um tema ou pedir também criações originais. Depois, faça uma pequena exposição dentro de casa.

Outra sugestão é brincar de “adivinhe o que é”: você cochicha uma palavra (um objeto, uma pessoa, até uma situação – depende da idade das crianças) e a criança desenha, faz mímica, para que os outros adivinhem. Você também pode oferecer às crianças um lugar grande para desenhar – como o Quadro Infantil Minha Escolinha.

4. Interação em Grupo

Além da criatividade individual, é importante que os pais estimulem a capacidade de criação em grupo. Quando as crianças estiverem reunidas – em casa, na escola, nos encontros de família – divida-as em pequenos grupos e oriente-as em um trabalho criativo em conjunto. Elas vão aprender a dividir as responsabilidades da tarefa, a unir as ideias e a explorar a originalidade e os potenciais de cada um.

5. Elogios e motivação

É preciso estimular a criatividade e a busca por novas ideias. Você gosta de ser elogiado quando faz interessante, legal, diferente, e os pequenos também curtem a sensação de aprovação. Desde pequenos gestos como um “que legal!” ou até uma exposição de desenhos fazem com que as crianças se sintam motivadas e continuem tentando coisas e ideias novas.

6. Faça parte da criatividade

Por último, mas não menos importante: entenda que a sua casa e a sua família podem ser os estimulantes da criatividade. Os pequenos podem opinar na hora de decorar a casa, de escolher a cor da parede, nos brinquedos que escolhem. Tudo passa pela conversa: quando a criança fizer uma escolha, estimule-a a explicar o por quê, a defender sua ideia. Essa argumentação também depende de criatividade e pode ser estimulada.

Fonte: Dicas Pais e Filhos

Esses brinquedos são coisa de… Criança!

post3

As discussões sobre gênero envolvendo brinquedos e o brincar têm sido frequentes na mídia. Independentemente do que as gerações anteriores acreditavam e ensinavam aos seus filhos, é importante fazer essa reflexão. Pois já é sabido que não é a escolha do brinquedo que vai definir a orientação sexual da criança e que brincar com diferentes brinquedos só enriquece o desenvolvimento dos pequenos.

 

Recentemente, uma menina de 5 anos fez sucesso na web com um vídeo sobre brinquedos sem gênero. Nele, a menina Liv apresenta alguns dos seus brinquedos e fala do que mais gosta de brincar. E, embora ela tenha bonecas, não são elas suas favoritas. Mais do que isso, ela questiona o papel dos personagens e brinquedos designados a um gênero e outro – Por quê uma princesa não pode salvar o mundo? Por quê um super-herói não pode também fazer comidinha?

 

Com seu jeito maroto e cômico, a menina Liv leva os adultos a repensar sua relação com os brinquedos das crianças. Sim, pois são os adultos que veem problemas neles. As crianças só aprendem que determinado brinquedo é ‘de menina’ ou ‘de menino’ por meio dos adultos. Para os pequenos, brinquedo é para brincar. E onde um adulto pode imaginar alguma indicação de futura orientação sexual, para a criança é apenas um mundo de possibilidades de diversão.

 

E é impossível não concordar com Liv, quando ela diz que brinquedo é, simplesmente, coisa de criança. E se a criança se diverte com ele, que mal há nisso?

 

Assista o vídeo e confira:

 

 

Produto da foto: Cozinha Top Casinha Flor

 

 

Fonte: Crescer

Diversão e aprendizado com a Turma da Mônica

 

A Mônica é a personagem mais famosa do ilustrador Mauricio de Sousa e faz parte da infância de várias gerações. Ela é uma garotinha cheia de personalidade que protagoniza várias aventuras com a sua turma no Bairro do Limoeiro.

 

Entre seus amigos – Cebolinha, Cascão e Magali – Mônica é conhecida pelo seu temperamento forte, especialmente quando a provocam, chamando de baixinha ou dentuça. Quando isso acontece, ela lança mão do seu coelho de pelúcia Sansão e parte para cima. Mas apesar de não levar desaforos para casa, Mônica é uma menina muito divertida e amiga.

 

Como não poderia ser diferente, esta personagem tão querida originou diversos produtos e brinquedos que levam seu nome. A Xalingo tem várias opções de jogos educativos e muito divertidos para encantar a garotada.

 

Com os produtos Xalingo Turma da Mônica seus pequenos podem brincar de associar números e quantidades – auxiliando no aprendizado das primeiras operações matemáticas. Também podem brincar de escola, desenhando e escrevendo com giz e lousa. Podem ainda desenvolver a atenção e a memória e trabalhar a criatividade modelando e pintando a Mônica e sua turma.

 

Confira a linha completa e leve essa turminha divertida para brincar com seus filhos.

Linha Xalingo Turma da Mônica

 

 

 

Fonte: Xalingo

Ajudinha para a lição de casa

post1-destac

A maioria das crianças prefere correr e brincar, do que fazer suas tarefas escolares. Mas e se elas pudessem aprender brincando?

Especialmente no início da vida escolar, quando ainda estão se habituando a esta nova rotina, as crianças podem precisar de um estímulo extra para ajudar a ‘pegar gosto’ pelos estudos. Para isto, nada melhor do que lançar mão dos produtos da linha Minha Escolinha Xalingo.

Nela você encontra diversos itens que vão divertir o seu pequeno e ainda facilitar o aprendizado e o processo de alfabetização por meio de jogos e brincadeiras. Confira algumas opções:

post1-certoPara conhecer a linha completa, acesse: Minha Escolinha

 

Fonte: Xalingo http://www.xalingo.com.br

Novas aventuras com Carros 3

carros3-destac

 

Relâmpago McQueen, o carro mais famoso dos desenhos animados, está preparando novas aventuras para divertir a garotada.

 

Com estreia prevista para julho de 2017, o terceiro filme da série traz o querido carrinho enfrentando uma nova geração de corredores, bem mais rápidos do que ele. O tema da nova animação pode é uma boa metáfora para os tempos atuais, abordando o envelhecimento e a necessidade de se reinventar para permanecer no mercado. No caso de Relâmpago McQueen, ele precisa continuar praticando o esporte que adora e vencer a prova da Copa Pistão. Mas, para isso, vai precisar da ajuda de Cruz Ramirez, uma jovem treinadora de corridas.

 

Confira o trailer:

 

Enquanto o filme não chega ao Brasil, que tal as crianças se divertirem com Relâmpago McQueen e sua turma em casa mesmo? A Xalingo tem diversos brinquedos com a temática de Carros Disney Pixar, incluindo skate, quebra-cabeças e até uma bancada com ferramentas.

 

carros

 

 

 

 

Fonte: Crescer

Bonecas ajudam a desenvolver empatia em meninos

meninos1-dailymom

 

Brincar é tudo de bom para as crianças. Quanto mais variadas as brincadeiras, melhor para o seu desenvolvimento. No entanto, algumas brincadeiras podem ajudar mais em questões específicas, como empatia, cuidado e carinho. Brincar com bonecas é uma delas.

 

Para as meninas, não é muita novidade. Mas a inclusão dos meninos em brincadeiras com bonecas tem se mostrado muito positiva no sentido de reduzir agressividade e torná-los mais carinhosos. Especialistas no assunto indicam que os garotos gostam de brincadeiras desse tipo tanto quanto as meninas, principalmente no primeiro ano de vida.

 

O aprendizado das brincadeiras com bonecas ajuda os meninos a serem mais atenciosos, resultando em irmãos mais afetuosos com suas irmãs e, futuramente, pais mais amorosos com seus filhos.

 

Quando deixamos de lado velhos preconceitos, nossas crianças e famílias só têm a ganhar com isso.

 

 

 

Fonte: Pais e Filhos

Imagens: DailyMom e ToyDolls