Blog :: Xalingo

A primeira visita ao oftalmologista deve acontecer antes dos dois anos

A deficiência visual impede as crianças de perceberem, identificarem ou diferenciarem as coisas, isso diminui o ritmo de aprendizagem e o desenvolvimento deles. Por isso é fundamental que ainda nos primeiros anos de vida, antes mesmo de completar dois anos, a criança seja levada para a sua primeira consulta ao oftalmologista.

De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 30% das crianças em idade escolar apresenta algum problema de visão. A Sociedade Brasileira de Oftalmologia Pediátrica calcula que exista aproximadamente 180 crianças cegas e 720 com baixa visão para cada milhão de brasileiros. Estima-se que oito em cada 10 casos de perda de visão poderiam ser evitados se tivessem sido detectados precocemente. O uso de óculos ou de colírios na infância, e de lentes na adolescência, pode evitar problemas mais graves de visão e de aprendizagem.

Cerca de 90% do desenvolvimento da visão ocorre até os dois anos e quanto antes for detectado se há algum problema, mais fácil é o tratamento. Os problemas oculares detectados e corrigidos ainda no inicio evitam problemas que podem acompanhar a criança inclusive em sua vida adulta, pois limita as perspectivas escolares, culturais e profissionais.

A ambliopatia – ou visão preguiçosa, que pode levar à cegueira – e os vícios de refração – miopia, hipermetropia e astigmatismo – são os problemas mais comuns entre os pequenos. Alguns problemas podem ser detectados logo em seguida ao nascimento do bebê com o teste do olhinho. Esse teste pode identificar inclusive patologias graves, como a retinoblastoma e a catarata. Mesmo que esse exame ou um primeiro (antes dos dois anos) não mostrem nenhum problema ocular, o indicado é que as consultas ao oftalmologista sejam anuais, assim como ao médico ou ao dentista.

Prevenir e ficar atenta a saúde ocular dos pequenos é fundamental para o desenvolvimento dele!

1 comentárioDeixe um comentário

  • Meu filho usa óculos desde os 4 anos e o oculista falou que se tivessemos detectado o problema quando ele era menor, poderia ter sido corrigido com uso de colirios. Nós não tinhamos essa informação que vocês trouxeram no blog. Muito bom mesmo.

Deixe um comentário para Marla Cancelar resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *